Hoje é

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

UM FELIZ E ABENÇOADO ANO NOVO!


Como fazer de 2013 um Feliz Ano Novo? Comecemos, por tudo, dando Graças a Deus! E depois de agradecer por todas as bençãos e graças que recebemos neste ano que termina, ofereçamos ao Senhor, nosso Deus, os nossos corações, para que neles reine a Sua Paz e para que, com Ele, aprendamos a aceitar os limites de cada um e entender melhor uns aos outros, sustentados sempre pelo Seu Amor, Ágape, incondicional, que nada espera, o Amor sem limites!
Como disse Madre Tereza de Calcutá, “no final das contas é entre você e Deus. Nunca foi entre você e as outras pessoas.” E assim temos muitos exemplos de pessoas que viveram na santidade, sendo instrumentos da Paz de Deus e sinais do Seu Amor no meio dos homens. Certamente, ao final de suas vidas, puderam afirmar que combateram o bom combate e que guardaram a fé, como São Paulo. Terminaram suas jornadas neste mundo, felizes e em paz, pois descobriram que o segredo da felicidade é viver o Amor, a Caridade.
E, se até mesmo fiéis de outras religiões e seitas que não reconhecem Jesus como o Filho de Deus e nosso Salvador descobrem que viver a caridade é o caminho certo para uma vida feliz, tanto mais nós, que a cada ano, na época do Advento, preparamos os nossos corações para receber, como na manjedoura da gruta de Belém, o próprio Deus, o próprio Amor, que se fez carne para habitar entre nós.
Neste Tempo do Natal, peçamos a Jesus, de corações abertos, que Ele faça os nossos corações realmente semelhantes ao Seu Sagrado Coração, pois só assim estaremos em verdadeira comunhão com Deus para termos um Feliz e Abençoado Ano Novo!
Agradeço aos velhos e sos novos amigos por terem visitado e divulgado o "blog". Muito obrigado também pelos comentários e pelas lindas mensagens deixadas aqui e enviadas por e-mail. Que em 2013 possamos continuar juntos neste humilde projeto de evangelização. Vamos viver o Evangelho de Jesus Cristo e proclamar a Palavra de Deus aos que mais precisam! Vamos viver o Amor Ágape, incondicional, que não pensa em recompensas, o Amor sem limites!
DESEJO-LHES UM FELIZ E ABENÇOADO ANO NOVO!

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

PROJETO DE NATAL 2012 "BELÉM A CASA DO PÃO"

video


Disse Jesus: «Vinde, benditos de meu Pai (…). Porque tive fome e destes-me de comer, tive sede e destes-me de beber…» (Mt 25, 34-35).
 “A Belém
Terra do Pão
Cidade de adoração
Diz o senhor:
De Belém flui a unção
Da casa do Pão
Pra todo o Brasil
Pra todo o mundo
Participe do Projeto de Natal “Belém a casa do pão”, “o pouco doado aos nosso irmãos carentes se transformará no muito aos olhos do Pai”.  Os gêneros necessários para cesta de Natal são: Café, açúcar, arroz, farinha, macarrão, óleo, leite, margarina, biscoito e enlatados em geral (ex.: creme de leite, leite condensado, lata de milho verde, lata de ervilha, lata de salsicha, lata de sardinha, leite de coco, nescau e outros...). As doações poderão ser feitas na Paróquia São José ou com a Coordenação paroquial da Campanha de Natal "Belém a Casa do pão": Souza, Vital Pantoja da Silva e Diego Ventura
Colabore!!!
«Deus ama aquele que dá com alegria» (2 Cor 9, 7)

PROJETO DE NATAL 2012 "BELÉM A CASA DO PÃO"

video


Disse Jesus: «Vinde, benditos de meu Pai (…). Porque tive fome e destes-me de comer, tive sede e destes-me de beber…» (Mt 25, 34-35).
 “A Belém
Terra do Pão
Cidade de adoração
Diz o senhor:
De Belém flui a unção
Da casa do Pão
Pra todo o Brasil
Pra todo o mundo
Participe do Projeto de Natal “Belém a casa do pão”, “o pouco doado aos nosso irmãos carentes se transformará no muito aos olhos do Pai”.  Os gêneros necessários para cesta de Natal são: Café, açúcar, arroz, farinha, macarrão, óleo, leite, margarina, biscoito e enlatados em geral (ex.: creme de leite, leite condensado, lata de milho verde, lata de ervilha, lata de salsicha, lata de sardinha, leite de coco, nescau e outros...). As doações poderão ser feitas na Paróquia São José ou com a Coordenação paroquial da Campanha de Natal "Belém a Casa do pão": Souza, Vital Pantoja da Silva e Diego Ventura
Colabore!!!
«Deus ama aquele que dá com alegria» (2 Cor 9, 7)

OQUE FAZEMOS?



TRISTE REALIDADE
Entre todas as desgraças que se abatem sobre a humanidade, com certeza a fome é uma das piores. Jamais esteve nas determinações de Deus que o ser humano, por Ele criado e pupila de seus olhos, conhecesse privações e penúrias materiais durante sua passagem pela Terra. No entanto, as cenas de mães e filhos esquálidos, envoltos em trapos e rodeados de moscas, já se tornaram comuns, a ponto de ficarmos insensíveis diante de tanta miséria e sofrimento. É verdade que, com o objetivo de amenizar aquele sofrimento todo, uma ou outra celebridade ou meio de comunicação lança campanhas para angariar fundos de ajuda, mas, logo depois, tudo já está esquecido e a problemática da fome continua, ou até piora!
DEUS É PAI!
A miséria não é castigo de Deus, mas conseqüência da ganância e da má vontade do ser humano. Na Bíblia podemos encontrar, em muitas passagens, o grande problema da fome e o esforço para eliminá-la. No Antigo Testamento, com freqüência encontra-se a proclamação de um Deus que ampara e protege os pobres e desvalidos (cf. Is 25,4; Sl 69,34). No deserto, diante das dificuldades, o povo sente a tentação de voltar.
Ao sentir fome, começa a murmurar contra Moisés e Aarão dizendo:
“Era melhor termos sido mortos pela mão de Javé na terra do Egito, onde sentávamos junto à panela de carne, comendo pão com fartura. Vocês nos trouxeram pelo deserto para fazer toda esta multidão morrer de fome”.
A resposta de Deus foi “fazer chover pão do céu”, mas ninguém podia guardar o maná para o dia seguinte. No projeto de Deus, não pode haver acúmulo. Todos têm o mesmo direito aos bens, de tal modo que não faltem para alguns e nem sobrem para outros (cf. Ex 16,3-5).
No Novo Testamento, os pobres são proclamados felizes porque neles Deus pode manifestar sua bondade, justiça e misericórdia. Isso é afirmado claramente nas bem-aventuranças (Lc 6,20-23), que exaltam o amor gratuito do Pai, como característica e prenúncio do Reino anunciado por Jesus. Para cada ser criado, Deus planejou a forma de alimentá-lo (cf. Gn 1,29-30). Como e quando então começou o problema da fome? Foi quando o ser humano se rebelou ao projeto de Deus e criou seu próprio projeto que levou à escravidão e à morte. Dessa forma, as relações humanas e fraternas transformam-se em relações de poder e opressão.
“DAI-LHE VÓS MESMOS DE COMER”
(Mc 6,33-37)
Não podemos ficar de braços cruzados, apenas esperando que os governos resolvam o problema da fome. Todos nós, como criaturas de Deus e cristãos, não podemos ficar sossegados enquanto um irmão nosso estiver com fome.
Uma escolha preferencial
A partir da II Assembléia Geral dos Bispos da América Latina, - em Medellín (1968), os pobres adquiriram significativa força de expressão na pastoral da Igreja. Não se trata de uma posição completamente nova, pois, desde que a Igreja nasceu, a presença de pobres tem sido sempre uma forte interpelação para ela. Ao longo de sua história, as comunidades cristãs sempre realizaram gestos de solidariedade, como também muitos de seus fiéis chegaram a dar a vida por denunciarem a existência da pobreza como sendo fruto de políticas iníquas e desmedida ganância de poucos. São Basílio, durante a grande fome de 368, levantou a voz contra os ricos indiferentes e organizou refeições gratuitas para o povo.
Dizia o santo:
- “Conheço muitos que jejuam, oram, praticam obras piedosas, que não prejudicam seus bolsos, mas que nada dão aos infelizes. Para que servem seus méritos? O Reino dos Céus está fechado para eles” (Homilia VII, 1,3-4).
São Cipriano de Cartago (+ 258) afirmava:
“A todos pertencem os bens de Deus que nós usamos. Ninguém deve ser afastado de seus benefícios e de seus dons. Seguindo seu exemplo, aquele que possui bens desta terra e divide com os irmãos seus ganhos, imita Deus-Pai, se coloca à disposição de todos, distribuindo gratuitamente”. (Sobre as boas obras e a esmola, 9-12; 26).
Como a Igreja e os cristãos dos primeiros séculos, também a Igreja da América Latina não ficou indiferente diante da problemá­tica da pobreza, decidindo usar um carinho e um empenho especial pelos pobres. É o Espírito que não nos permite ficarmos indiferentes diante de tanta miséria que tende a se agravar.
Se a pobreza e a fome são expressões da falta de amor, isso contrasta frontalmente com o advento do Reino de fraternidade e de justiça pelo qual Cristo veio entre nós e deu sua própria vida.
Para refletir e agir
1.º Quais são as principais causas da fome no mundo?
2.º A fome e o juízo final: Reflitam sobre Mt 25, 25-36.
3.º Há solução para a fome no mundo? Qual?
4.º O que nós já fizemos para amenizar a fome de alguém?
Mundo desigual
• Quatro cidadãos dos EUA – Bill Gates, Paul Allen, Warren Buffett e Larry Ellyson – concentram em suas mãos uma fortuna equivalente ao PIB de 42 países pobres, com uma população de 600 milhões de habitantes;
• No Brasil, 10% dos brasileiros mais pobres recebem 0,9% da renda do país, enquanto os 10% mais ricos ficam com 47,2%.
• A cada sete segundos morre uma criança de fome.
• Na Guatemala, 50% das crianças menores de cinco anos sofrem de desnutrição crônica.
• Segundo o Banco Mundial, 1,2 bilhão de pessoas sobrevivem com menos de 1 dólar por dia.
• 54 milhões de brasileiros vivem abaixo da linha da miséria, recebendo menos de meio salário mínimo por mês;
• Em 2002, somente no Afeganistão, a guerra custou 13 Bilhões de dólares. No mesmo ano o Pentágono gastou apenas 10 Milhões de dólares em obras civis e humanitárias.
• Existem cerca de 4 milhões de famílias sem-terra no Brasil. Se entregássemos 15 hectares a cada família, seria necessário desapropriar 60 milhões de hectares. Segundo o governo existem 120 milhões de hectares que podem ser desapropriados. (2004)
• As 18 maiores propriedades do Brasil somam 18 milhões de hectares, que correspondem a um território equivalente a Portugal, Suíça e Holanda juntos.
• Em apenas meio dia de guerra no Iraque, o exército norte-americano gasta mais do que as Nações Unidas investem, anualmente, no programa para erradicar a Aids e a malária nos países pobres.
Fontes: Documentos internacionais da ONU, UNICEF, OMS, FAO e UNAIDS

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

PROJETO DE NATAL BELÉM A CASA DO PÃO 2012



«Deus ama aquele que dá com alegria» (2 Cor 9, 7)

A Paróquia São José inicia neste final de semana a coleta de alimentos não perecíveis, que serão destinados a confecção de 250 cestas básicas para serem entregues aos nosso irmão mais carentes, por ocasião do Natal do Senhor. 
Gêneros: Café, açúcar, arroz, farinha, macarrão, óleo, leite, margarina, biscoito e enlatados em geral. As doações poderão ser feitas na Paróquia São José ou com a Coordenação paroquial da Campanha de Natal "Belém a Casa do pão": Souza, Vital Pantoja da Silva e Diego Ventura
Colabore!!!

«Vinde, benditos de meu Pai (…). Porque tive fome e destes-me de comer, tive sede e destes-me de beber…» (Mt 25, 34-35).

ENCONTRO



“A quem seguirei Senhor? Se só tu tens palavras de vida eterna”. (JO 6,68)
PREGADOR: Pe. Edmilson (Canção Nova)
DATAS: 24 e 25 de Novembro 2012
LOCAL: Paróquia São José, situada na Rua Domingos Marreiros 104.
INSCRIÇÃO: R$ 5,00 (cinco Reais) na secretaria paroquial e na livraria Canção Nova.


terça-feira, 18 de setembro de 2012

PATROCINADORES E APOIADORES DA FESTIVIDADE 2013


A Paróquia São José através da Comissão da festa convida os empresários de empresas de pequeno, médio e grande porte, interessados em serem patrocinadores ou apoiadores da festividade de São José 2013, a enviarem contatos para o e-mail festividadesaojose@hotmail.com, com intuito de um membro da comissão entre em contato para maiores informações.
A festividade São José realizada no bairro Umarizal, a cada ano toma maior dimensão a expectativa para 2013 é que a festividade envolva cerca de 3000 mil fieis participando direta ou indiretamente da festividade, desde peregrinações nas residências, instituições, hospitais e culminando com a programação na paróquia entre as datas 06 a 19 de março do ano corrente.
Também ressaltamos os telespectadores que participam da Celebração Eucarística de encerramento da festividade pela Fundação Nazaré de Comunicação (TV Nazaré, Radio Nazaré e Jornal Voz de Nazaré), segundo a fundação a Tv conta com 34 retransmissora já em operação, abrangendo todos os municípios do estado do Pará, parte do Maranhão, Mato Grosso, Amapá, Acre e Rondônia, totalizando uma população e 6.355.650 habitantes. A Radio Nazaré possui o alcance em torno de 92 municípios com uma programação voltada para formação e educação do seu povo, com uma população de 1.500.000 católicos em Belém e de 4.600.000 no estado. A população de ouvinte total da radio diariamente é de 3.688.444 habitantes. O jornal Voz de Nazaré possui uma tiragem de 5000 exemplares e lido por cerca de 25 mil pessoas semanalmente.  Neste sentido, a festividade possui uma dimensão ampliada abrangendo muitos fieis e devotos do Glorioso São José.